Já me vês?...


Sunday, May 11, 2014
Anyone there?

Aos velhos conhecidos...
Ainda está aí alguém?

Posted at Sunday, May 11, 2014 by GreenShadow
Make a comment

Monday, March 05, 2007
Para Sempre

No fundo sempre soube que uma vez só, por muito anos que tivessem passado, uma só vez bastaria, assim como da primeira... Ver-te uma vez, quase próximos mas com o quase sempre entre nós a dividir como o horizonte divide o céu do mar, uma única e maldita vez bastaria; bastava; bastou para que voltasse ao grau zero do esquecimento, ao ponto em que compreendemos e encaramos como uma fatalidade que tudo está como sempre esteve, tu em mim e eu sem ti...

 

A vida - que é o termo utilizado quando não se tem explicação para o que ocorre ou pura e simplesmente se resumem anos de existência numa só palavra por comodidade ou por não se acreditar no destino, ou mesmo simplificando o que já de si era simples, o acaso, a coincidência que acontece como uma vertigem - encaminha-nos sempre na mesma direcção quando menos espero; pelo menos quando procuro nunca te encontro e não será de procurar nos locais errados mas sim azar (o de uns costuma ser a sorte de outros) ou uma coincidência que não o chegou a ser por pouco ou um atraso ou adiantamento do destino na marcação das datas, das horas e das ocorrências. Se alguém houver que tenha por missão gerir tão complicada logística, dirá com quase toda a certeza que terá sido uma gralha, um erro de impressão.

 

Mas enfim, de novo, uma só vez foi suficiente para que o meu coração disparasse, para que por um instante tivesse desejado ter evaporado, tal era a minha falta de preparação para o impacto, um murro no estomâgo que rouba o ar aos pulmões e impede que haja uma renovação do mesmo, o coração a bater como bate o do pássaro que se vê aprisionado entre um par de mãos e eu sem jeito, como sempre, quase mudo e quieto a tentar reagir, a sair da cova para onde me desejava atirar.

No fundo sempre soube que uma só vez bastaria; bastava; bastou para ser obrigado a admitir que apesar de não me ter esquecido de me forçar a esquecer-te, mesmo após estes séculos já passados... eu nunca te esqueci...


Posted at Monday, March 05, 2007 by GreenShadow
Comments (1)

Tuesday, November 29, 2005
Parecendo que não...

...
Ainda estou vivo...

Posted at Tuesday, November 29, 2005 by GreenShadow
Comments (2)

Monday, June 14, 2004
Eleições

   Houve algo nestas eleições que me deixou maravilhado...

Posted at Monday, June 14, 2004 by GreenShadow
Comments (4)

Wednesday, March 24, 2004
I wonder...

   Sou manifestamente de esquerda. Talvez por isso, às vezes, graças às opiniões que leio vindas "do outro lado" (para mim só existe a esquerda e o outro lado), questiono-me se viveremos todos no mesmo mundo. Outras limito-me a encolher os ombros e a seguir em frente...

Posted at Wednesday, March 24, 2004 by GreenShadow
Comments (8)

Tuesday, March 09, 2004
Perfeita Imperfeição

   Olho pelas frestas da persiana que entreaberta transparece a luz que me fere os olhos e semicerrando-os vejo-a chegar. Estaciona o carro e avança decidida e atrasada para a porta de entrada ainda praguejando com um qualquer outro condutor: “Se não sabem conduzir não saiam de casa”, “São mais perigosos do que as próprias estradas”, etc, etc. Só ela, na sua beleza simples e porém tão acentuada não comete esses pecados; nem qualquer outro tipo de; aliás: ela, só ela, na sua beleza tão simples é simplesmente perfeita.

   É tão perfeitamente bela que é incapaz de não sentir pena dos gatos que ele pontapeia, dos pássaros que cruel e sumariamente fuzila com a sua espingarda de chumbos, de todos os vermes e outros insectos rastejantes que esborracha com a sola das suas – como ela lhes chama - “botifarras”. É tão perfeitamente perfeita que até hoje nem um único peixe foi capaz de enclausurar num aquário, preferindo sempre solta-lo num riacho um ou dois dias mais tarde. É que “coitado, parecia tão triste aqui fechado...”.

   É tão perfeitamente perfeita que até chega a cansar. É uma espécie de bolo que de tão doce até enjoa, um tipo de poço de virtudes isolado numa cela de assassinos frios e ferozes. É tão perfeitamente bela que ninguém acredita que não seja uma mais uma boneca “pré-configurada” de fábrica. Tem tudo de bom que se pode desejar numa outra pessoa e apenas isso nos leva a crer que é realmente falsa; inventada; não original. Porque pessoas perfeitamente belas e perfeitas não existem: escusam de me tentar enganar.

   E a despropósito: será pior deixar “o bichinho ali a sofrer” ou voltar atrás para o calcar e assim “acabar com o seu sofrimento”?

 

Nota: Este post não é nem mais nem menos do que um devaneio; as não-personagens usadas não existem, foram criadas...

 

 P.S. Olha... e ainda demoras muito tempo a chegar? ;)

 


Posted at Tuesday, March 09, 2004 by GreenShadow
Make a comment

Monday, March 08, 2004
Praia

   Não existe quase nada de melhor do que morar perto do mar porque é uma sorte, uma dádiva, poder num só passeio transformar melancolia em recargas de bateria.

   E é tão simples e ainda assim tão inexplicável que se começa a caminhar percorrendo o chão com um olhar absorto e o corpo curvado com um peso não se sabe bem onde e quando se repara, parece-se mais um herói bramindo a sua espada aos céus como se nada o pudesse derrotar do que mais um simples ser andante.

   Dão-se mutações de dúvidas em certezas, de fraquezas em vontades, tristezas em valentias. São poucos os momentos simples com esta força e sem dúvida que estes são os momentos que deveriam ser a base de grandes decisões.

   Entre milhões de outras coisas são momentos simples como estes que, emaranhados noutros, permitem a construcção da utópica felicidade...


Posted at Monday, March 08, 2004 by GreenShadow
Comments (1)

Desde o Dia Em Que Ela Lhe Morrera (II)

   Desde esse famigerado dia no qual uma parte dele pereceu que em todos os finais de tarde serve na varanda envidraçada dois copos de vinho e um se mantém sempre intacto e imóvel, divide o jornal em duas partes e acaba sempre por esticar o braço em direcção à outra cadeira com a outra metade duplamente por ler, desde esse dia maldito que todos os amaldiçoados dias seguintes coloca os chinelos dela, de número tão pequeno, alinhados ao lado da cama de forma doentia.

   Desde o dia em que ela lhe morrera, passados já muitos séculos, que em dia algum adormeceu sem dificuldade e sempre que o consegue fazer acorda na angústia de quem inconscientemente procura a mulher a seu lado no leito pensando talvez em aconchegar-se ou algo mais, acorda na angústia de se sentir pequeno na cama enorme, sem ela.

   Desde o tal triste, chuvoso e tempestuoso dia que ele se julga sobrevivente único de um mundo morto, talvez não repare na quantidade de mulheres que não tão assim secretamente o admiram e desejam mesmo que ele as olhe como se fossem transparentes ou pior, nem sequer as olhe, talvez não se aperceba que tem, por exemplo, um nível de vida que lhe permite viver senão nesta loucura, nesta espécie de alheamento, apatia ou autismo. Desde o dia em que ela lhe morrera.

                                                                             (Fim do 2º Acto)


Posted at Monday, March 08, 2004 by GreenShadow
Comments (1)

Tuesday, March 02, 2004
Clandestino

"solo voy con mi pena
sola va mi condena
correr es mi destino
para burlar la ley
perdido en el corazon
de la grande babylon
me dicen el clandestino
por no llevar papel
pa una ciudad del norte
yo me fui a trabajar
mi vida la deje
entre ceuta y gibraltar
soy una raya en el mar
fantasma en la ciudad
mi vida va prohibida
dice la autoridad

solo voy con mi pena
sola va mi condena
correr es mi destino
por no llevar papel
perdido en el corazon
de la grande babylon
me dicen el clandestino
yo soy el quiebra ley

mano negra clandestina
peruano clandestino
africano clandestino
marijuana ilegal

solo voy con mi pena
sola ca mi condena
correr es mi destino
para burlar la ley
perdido en el corazon
de la grande babylon
me dicen el clandestino
por no llevar papel"

(Mano Chao)


(Esqueci-me novamente do texto! Não que seja importante, é claro...)

Posted at Tuesday, March 02, 2004 by GreenShadow
Make a comment

Monday, March 01, 2004
Previsão Blogosférica

   E o tema desta semana será:

   "And the Oscar goes to..."


   (Vai uma aposta??)

Posted at Monday, March 01, 2004 by GreenShadow
Comments (2)


Next Page

   




<< December 2016 >>
Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat
 01 02 03
04 05 06 07 08 09 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31






Erros gramaticais (tantos!), textos, críticas, insultos e mais, muito mais...
Não te acanhes!...
Contact Me

Sim, sou um caso perdido ao ponto de querer receber notificações de actualizações?...
If you want to be updated on this weblog Enter your email here:


Blogdrive